terça-feira, 20 de setembro de 2011

Às pessoas que insistem que eu devo considerar a possibilidade da existência de um Deus criador, lhes digo o seguinte: ao aceitar tal hipótese como plausível, sou obrigado a tentar entender o que levou à criação. E parece bastante adequado que uma entidade solitária, existente desde sempre, se pergunte a respeito de sua própria existência. Dessa forma, acabo por presumir que o ato de criar o Homem e observá-lo viver e morrer, bem como destruir e recriar planetas, sistemas e biosferas complexas quantas vezes for necessário é a única coisa que pode - num impensável futuro qualquer - suprir a Sua Divina Frustração.

Essas pessoas, serão elas capazes de considerar tal possibilidade?

Um comentário:

Vômito disse...

Muito instigante sua pergunta.