sexta-feira, 25 de março de 2011

Star Trek: Enterprise

T'Pol: "This site is called 'Gateway', where Surak supposedly began his journey into The Forge."
Archer: "You keep saying 'supposedly'. You don't believe Surak did the things they said he did?"
T'Pol: "He brought logic to Vulcan in an age we call the Time of Awakening, but his writings from that period no longer exist."
Archer: "There must be some record of it."
T'Pol: "Over the centuries, his followers made copies of his teachings."
"Let me guess: with the originals lost, whatever is left is open to interpretation."
T'Pol: "You find this amusing."
Archer: "I find it familiar."

2 comentários:

Bruno Nunes disse...

Encontrei seu blog por um acaso na internet. Mas não podia deixar de fazer algum comentário. A pergunta que você faz no título do blog é séria? Qual a diferença entre crer em um ser superior que criou o universo e em um bule que voa? É isso mesmo? A diferença é toda a que possa existir. Você cometeu o erro básico da inversão de planos, comparando a possibilidade de existência de entes de planos distintos. A discussão sobre a existência de Deus está no plano filosófico, e não está sujeita ao crivo do método científico. Sobre essa discussão (que já é antiga), há material e argumentos a favor da existência de Deus de sobra. Sobre o seu bule que voa, a ciência está aí para provar que bules não voam. Se você encontrar algum relato desse bule por favor me avise. Infelizmente argumentos pobres, beirando o ridículo.

G.M. disse...

Referências a Star Trek são sempre relevantes!
Comentários sem embasamento científico, por outro lado, nunca serão.
Deus é um ser invisível que mora no céu e é seu próprio pai, mas também pode ser uma pomba. Reductio ad absurdum tende a simplificar discussões complexas. Qualquer alegação que não seja passível de comprovação pelo método científico não pode ter provas em seu respaldo; provas necessariamente configuram uma ramificação do próprio método científico.
O bule voa. O bule está lá. Mas não se pode esperar que alguém sem fé no bule entenda isso. A discussão sobre a existência do bule está no plano filosófico, e não está sujeita ao crivo do método científico.